Dúvidas Reumáticas – Os pacientes querem saber sobre Lúpus e Gestação

6 de maio de 2019

1- Quem tem lúpus pode engravidar?

Sim, as pacientes com lúpus eritematoso sistêmico podem engravidar, desde que alguns cuidados sejam tomados: a doença deve estar em remissão há pelo menos seis meses; não pode haver acometimento importante de órgãos como rim, coração, pulmão e cérebro; não podem estar tomando medicações que possam fazer mal ou levar à má formação do bebê, como metotrexato, ciclofosfamida, leflunomide e micofenolato mofetil1.

2- Quais cuidados devo tomar antes de engravidar?

Primeiramente, é essencial que a doença esteja bem controlada. Por isso, é fundamental que você avise com antecedência seu reumatologista sobre a intenção de engravidar, para que o planejamento familiar e os ajustes nos remédios sejam feitos. Se não houver contraindicação, o uso de hidroxicloroquina é recomendável antes e durante toda a gestação2,3. Outras medicações também podem ser usadas para controle da doença, como prednisona e azatioprina1. Como em toda gravidez, também deve ser iniciado o uso de ácido fólico antes e durante a gestação.

3- Se eu tiver alguma dificuldade para engravidar, posso fazer algum tratamento para infertilidade?

Essa possibilidade vai depender de como está sua doença, de quais remédios você faz uso e da causa da infertilidade. De qualquer forma, esta possibilidade existe em pacientes com doença inativa e estável. Além disso, de acordo com as recomendações da Liga Europeia contra Reumatismo (EULAR), antes do uso de ciclofosfamida, que pode diminuir a fertilidade, pode-se utilizar os análogos do hormônio liberador de gonadotropina (sigla em inglês: GnRH) para diminuir o risco de infertilidade1. Converse com seu médico reumatologista para avaliar estas questões.

4- O que devo fazer durante a gravidez?

As pacientes gestantes com lúpus devem ser acompanhadas de forma regular pelo reumatologista e iniciar precocemente o pré-natal de alto risco. Como há um risco maior de complicações para a mãe e o bebê, os exames devem ser feitos de forma mais frequente durante a gestação. Pode ser necessário também o uso de medicações como o ácido acetilsalicílico (AAS), cálcio e vitamina D1,4. Como em toda gestação, é importante manter hábitos de vida saudáveis, não fumar e evitar o consumo de álcool.

Referências

  1. ANDREOLI, L. et al. EULAR recommendations for women’s health and the management of family planning, assisted reproduction, pregnancy and menopause in patients with systemic lupus erythematosus and/or antiphospholipid syndrome. Ann. Rheum. Dis., v. 76, p. 476-485, 2017.
  2. KOH, J. H., et al. Hydroxiclorquine and pregnancy on lupus flares in Korean patients with systemic lupus erythematosus. Lupus, v. 24, p. 210-17, 2015.
  3. LEVY, R. A. et al. Hydroxiclorquine in lupus pregnancy: double-blind and placebo controlled study. Lupus, v. 10, p. 401-404, 2001.
  4. ROBERGE, S. et al. Early administration of low-dose aspirin for the prevention of preterm and term preeclampsia: a systematic review and meta-analysis. Fetal Diagn. Ther., v. 31, p. 141-146, 2012

Autora:  Dra. Luciana Muniz

Reumatologista com Doutorado pela Universidade de São Paulo (USP)

Reumatologista do Hospital Sírio Libanês – Unidade Brasília

Postado em Geral, Notícias por admin